Transformação ágil: como fazer sua equipe comprar essa cultura

Cultura não é imposta, cultura é vendida: você deve saber vender a transformação ágil se deseja que ela tenha sucesso.

Existem muitos equívocos quando se trata de agilidade. Talvez o maior deles seja o pensamento de que o ágil é apenas uma metodologia, um passo a passo, e não parte da cultura da sua empresa. E assim como qualquer ponto em uma cultura empresarial, decisões completamente de cima para baixo não são aceitas e integradas no dia a dia dos colaboradores. A cultura empresarial deve ser um reflexo de quem trabalha na empresa e da visão dos fundadores. Cultura não é imposta, cultura é vendida: você deve saber vender a transformação ágil se quer que ela tenha sucesso.

Primeiros passos e como aprendi isso

Já passei por isso quando estava implementando o Scrum na primeira empresa em que trabalhei, então falo com propriedade. E como você pode aprender com meu erro e fazer sua equipe “comprar” a ideia de uma transformação ágil?O primeiro ponto é entender bem como funciona a dinâmica de cada uma das suas equipes. Qual time tem mais disposição a mudanças e qual tem mais bloqueios nesse sentido? A transformação ágil não precisa começar na empresa inteira de uma vez. Comece pequeno e vá crescendo a cada ciclo.Agora que você já descobriu qual time tem mais disposição para mudar o jeito de trabalhar, você precisa achar, dentro dessa equipe, a pessoa que mais tem essa disposição. Essa pessoa vai ser seu primeiro advogado durante a transformação ágil. É com ela que você deve conversar antes de qualquer outro membro dessa equipe. Quando vender a ideia para essa pessoa, tudo vai ficar mais fácil.

Como começar

Com tudo isso em mente, é hora de começar. Monte uma apresentação que mostre como aquele time, e, por consequência, seus membros, vão se beneficiar com essa mudança. Fale sobre o aumento de produtividade, o fim do microgerenciamento, o sentimento de dono e pertencimento. Você tem que fazer com que esse time entenda que o propósito da mudança é para que todos os lados saiam ganhando, não só a empresa.Outra dica que te dou é: não tente começar perfeitamente. Scrum Masters mais experientes vão ter mais facilidade durante as primeiras Sprints em uma equipe, isso vem puramente da vivência e experimentação que fazem há anos. Isso significa que é com o tempo você vai adquirindo esse sentimento.O mais importante de tudo é: a mudança de modo de trabalho do tradicional para o ágil é grande e se vocês forem começar com todos os rituais e boas práticas, o time vai ter mais dificuldade em assimilar essa mudança. No começo, foque nos princípios do Manifesto Ágil e não em uma ou outra metodologia em específico.Depois de um ou dois Sprints, você e seu primeiro time vão perceber que realmente, o primeiro foi o pior, mas seu time foi evoluindo e agora já está bem melhor do que no começo. Vocês conseguem planejar suas Sprints com mais assertividade e cometem menos erros.

Expandindo para outros times

Essa é a hora de encontrar seu segundo time para começar a transformação ágil. Nesse time, o normal é que se tenha uma facilidade muito maior para convencer o time a utilizar, já que eles já vão ter visto o que aconteceu em um outro time da empresa. É muito mais fácil mostrar que algo dá certo quando se tem exemplos internos. No segundo time, faça o mesmo que fez com o primeiro, as mesmas etapas, mas agora você pode utilizar exemplos e até pedir que uma das pessoas que trabalha no primeiro time que aconteceu a transformação explique como ela foi benéfica.A lição desse texto, como sempre, é: não se apresse, comece pequeno e evolua disso, time após time. Nunca, mas nunca mesmo, tente empurrar a transformação ágil goela abaixo dos colaboradores. Isso vai gerar estresse e menos resultados, além de ser insustentável no longo prazo.

Receba os melhores insights para a gestão do seu negócio.

Increva-se na Newsletter!

Vamos te enviar os melhores insights
Oops! Something went wrong.
Não se preocupe, não vamos te mandar SPAM!