Product Owner: Agregando Valor ao Seu Negócio

Gerar valor aos clientes se tornou essencial para a sobrevivência dos negócios. Vamos te mostrar como um bom Product Owner impacta no sucesso do seu negócio.

Negócios geradores de Valor x Negócios Falidos

Todo negócio de sucesso, sem exceção, tem uma característica: eles geram valor aos clientes que tem.

Esse ponto simples é o que diferencia empresas bem-sucedidas de empresas que vão à falência e vamos te mostrar como um bom Product Owner pode fazer toda a diferença para que seu negócio seja do primeiro tipo. Empresas que geram valor aos seus clientes ganham dinheiro, enquanto empresas que não fazem isso ou fazem em uma proporção menor ganham menos ou nada.

Mas como as empresas geram valor aos seus clientes? Quando um cliente sente que há mais valor no serviço ou nos bens que está adquirindo do que no próprio dinheiro, ele é levado a comprar ou consumir de alguma empresa.

O papel do Product Owner (PO)

Para certificar que sua empresa está trabalhando de um modo a gerar o máximo de valor aos clientes (e assim trazendo o máximo de ganhos possíveis), entra a figura do Product Owner.

Sendo um dos três papéis fundamentais para se utilizar o Scrum, o PO é quem deve ter uma visão mais próxima dos stakeholders (todos aqueles a quem o produto ou serviço for beneficiar) para que o time consiga saber quais tarefas realizar para que se tenha um impacto maior o quanto antes, gerando valor o mais cedo possível para os clientes.

A função do Product Owner é a de definir as estórias de usuários (um método muito utilizado nas metodologias ágeis para descrever tarefas a serem realizadas) e priorizar o backlog de um produto ou projeto. Gostamos de dizer que uma das principais responsabilidades de um PO é saber dizer “não” quando uma tarefa não é prioritária, de maneira a refinar o Backlog por valor. Ele é quem deve manter a integridade conceitual das novas funcionalidades, problemas ou melhorias, para que essas sigam uma visão definida para o produto ou projeto.

Além disso, ele também é responsável pela qualidade final das entregas, sendo o único que deve ter poder de aceitar as tarefas como concluídas ou rejeitá-las. É ele uma das peças mais relevantes para uma boa gestão através do Scrum.

Habilidades de um Product Owner

O PO necessita ter, principalmente, duas habilidades: planejamento e comunicação.

Como é ele quem tem a visão do que o cliente realmente precisa ou daria valor, deve planejar as entregas para que sempre sejam realizadas primeiro as tarefas que mais vão gerar valor aos clientes.

Além do planejamento, ele deve ter uma enorme habilidade de comunicação para conseguir passar os pensamentos de sua cabeça para que todos no Time Scrum tenham um entendimento do que é requerido e quais são os requisitos para se dizer que aquela tarefa possa ter o status de “Concluída”.

Um erro de comunicação do PO pode fazer com que o Time Scrum desperdice tempo realizando alguma tarefa de maneira errada, caso eles a interpretem de maneira errônea. Vale lembrar que o Product Owner não tem nenhum poder ou responsabilidade quando falamos a respeito de como o time deve atuar ou por meio de quais processos eles vão executar o que foi proposto.

Como trabalha um PO?

Refinamento de Backlog

Aproveitando os inputs do Time Scrum e do Scrum Master, além de suas próprias ideias para estórias ou tarefas, o Product Owner deve refinar o Backlog, e isso significa, além de construí-lo, também aprimorá-lo e mantê-lo. Por último mas não menos importante, ele deve realizar a tarefa que muitas vezes caracteriza o PO: priorizar o Backlog por ordem de valor e dependências.

Planejamento de Sprints

Nessa etapa, o PO deve revisar e repriorizar as estórias e tarefas do Backlog para se preparar para a reunião de Planejamento do Sprint. Durante a reunião, o Product Owner deve ser a maior fonte de informações sobre o detalhe das estórias e prioridades e tem a responsabilidade de aceitar o planejamento final feito pelo time.

Elaboração de tarefas no dia-a-dia

Enquanto o Sprint acontece, o PO deve elaborar e quebrar a maioria das estórias do Backlog, que podem ser incluídas por qualquer membro a qualquer momento, com as definições de “pronto” que achem ser as certas, para que sejam quebradas e os critérios sejam aceitos ou modificados de modo a manter o processo fluido.

Aceitação (ou rejeição) de tarefas

O Product Owner, sendo a voz e visão do cliente dentro do time é o único que tem o poder de aceitar ou rejeitar estórias. Para isso basta ser coerente com os critérios de aceitação previamente acordados com o time, garantindo que as entregas sejam de qualidade e focando primariamente em produtos ou partes de produtos prontas para usar.

Participar da Retrospectiva do Sprint

Sendo um dos membros integrais do time e o responsável pelos requerimentos, o Product Owner tem um papel importantíssimo na Retrospectiva do Sprint, revisando as estórias e as aceitando. Nessa reunião também é importante prover feedback e coletar informações para os stakeholders.

Considerações Finais

Trabalhar como um Product Owner pode ser cansativo, mas normalmente é uma experiência extremamente enriquecedora e satisfatória.

Por último vale lembrar o primeiro princípio do Manifesto Ágil:

“Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas.”

Inscreva-se na nossa newsletter

Vamos te enviar os melhores insights
Algo deu errado.