Pare de usar metas tradicionais e motive a sua equipe com OKRs

Quando o sistema tradicional de metas não motiva mais a equipe, é o momento de trazer OKRs para o foco!

O trimestre já está rodando e você, gestor, percebeu que a sua equipe não está mais empolgada com as tradicionais metas utilizadas na sua empresa. E isso já está refletindo nos resultados da sua equipe que já não performa tão bem quanto antes.

Assim, aquelas metas tradicionais que você e toda a gerência montaram com todo o cuidado para o restante do ano não estão funcionando como se deveria.

Há um desinteresse da equipe no acompanhamento dos resultados dessas metas, a competição entre os membros está prejudicando a cultura e o único objetivo do time é apenas entregar o combinado, mas até isso está difícil.

Caso alguma dessas dores esteja sendo vivenciada por você, OKRs pode ser a solução.

Caso você ainda não tenha visto, preparamos um super guia para você entender a fundo esse framework que tem revolucionado o modo como as empresas trabalham, gerado resultados surpreendentes para todos os tipos de organizações e como você pode implementar no seu projeto.

Além disso, nesses posts do nosso blog já falamos também sobre o sucesso gerado pela metodologia no Google, por que as empresas estão utilizando OKRs em suas empresas e, ainda, como os ciclos de PDCA e OKR se relacionam. Leia os nossos materiais e descubra o mundo de possibilidades dados pelas OKRs.

Mas como os OKRs podem motivar a equipe?

Neste post, vamos nos concentrar nas diferenças das OKRs em relação às metas tradicionais que as empresas utilizam e como elas impactam positivamente no trabalho da sua equipe. Vamos à elas?

1. Construção alinhada

Com OKRs, os objetivos e os resultados - chaves que vão indicar o progresso do time ao longo do trimestre são montados em conjunto com todo o time. Assim, a equipe se sente parte do todo, contribui para a formulação dos alvos e trabalha mais motivada para alcançar os acordos feitos já que não há metas totalmente top-down, aquelas que a diretoria traça e o time executa. Assim, a responsabilidade dos objetivos é, mais do que nunca, de todos!

2. Menos competição, mais colaboração

Ao se trabalhar com OKRs, toda a empresa trabalha unida em prol dos resultados - chaves de todos. Assim, o clima passa a ser de colaboração e não de competição. Vale destacar que a competição pode até ser boa em alguns casos, mas não é interessante se ter, por exemplo, times de Tecnologia competindo com times de Marketing, ou, ainda, times de mesmo segmento competindo entre si já que todos fazem parte da mesma empresa. E a cultura, como fica?

3. Menos Status Reports, mais ações impulsionadoras de resultados

Documentos como Status Report de resultados são interessantes, fornecem, relativamente, uma boa visão dos números de um time, mas, por si só, não são suficientes. E com OKRs o foco não é a construção ou a exibição do Status Report e, sim, ajustar as ações que vão impulsionar os resultados do time. Logo, foco na solução constante e não nos problemas.

4. Time quer resolver problemas

Quando se tem OKRs, o time poderá encontrar a cada dia um problema diferente para resolver - mas isso sabemos que acontece em quase todos os frameworks, certo? Porém, como eles fazem parte verdadeiramente do propósito dos objetivos definidos, eles vão lutar para ir além e resolver todos os problemas que aparecerem. Vão se dedicar, saírem da zona de conforto e pensar o que podem fazer diferente “hoje” em relação ao "ontem" para dobrar os resultados e, assim, fazerem a diferença. Com OKRs, a sua equipe fica ainda mais unida em busca do que realmente gera valor para a sua organização.

E aí, conseguiu ver o cenário onde você se encontra trabalhando com metas tradicionais e o ambiente que você poderá ter por meio das OKRs? Basta você querer!

Inscreva-se na nossa newsletter

Vamos te enviar os melhores insights
Oops! Something went wrong.
Não se preocupe, não vamos te mandar SPAM!