Os resultados de usar Scrum no ClubPetro

Nesse você vai conhecer os resultados que tivemos ao usar Scrum no ClubPetro. Entenda toda história e saiba que você pode fazer o mesmo em sua empresa.

Acredite em mim, eu já estive no seu lugar!

Pode ser muito difícil dizer no começo quais resultados de usar Scrum sua empresa está tendo, visto que na maioria das vezes, antes de se implantar essa metodologia, não se medem os principais indicadores presentes nela. Nesse texto você vai conhecer os resultados que tivemos ao usar Scrum no ClubPetro. Então logo no começo, o único resultado que conseguimos medir é o nível de satisfação do time usando uma nova metodologia. Durante a Retrospectiva do Sprint, um dos objetivos é entender qual é esse nível de satisfação. Poucas pessoas e poucos times vão começar já extremamente satisfeitos com uma nova metodologia. Afinal de contas, esses times já estão trabalhando de uma maneira diferente há muito tempo, então o início de qualquer mudança não tende a ser agradável, e isso se refletiu no ClubPetro. Como dito em um texto anterior, começamos a usar o Scrum primeiramente no time de Marketing, e não temos problemas em dizer que no começo, não deu nada certo. O time não entendia a priorização das tarefas, então realizavam as tarefas fora de ordem. Para vocês terem noção, tivemos membros do time realizando tarefas que estavam no Backlog ao invés de realizar as tarefas que foram priorizadas para o Sprint.

Pode não ser o que parece

Da mesma maneira, vários membros estavam acostumados a realizar múltiplas tarefas ao mesmo tempo, o famoso “multitasking” o que, ao contrário do senso comum, faz com que a produtividade caia, ao invés de aumentar. Seria injusto demais só falar sobre os erros do time, que não tinham nenhum conhecimento sobre a metodologia, sem falar sobre os erros de quem estava tentando implementar ela nos times. Como Scrum Master, não tenho nenhuma vergonha de dizer que errei muito nessa fase inicial também. Não soube instruir o Product Owner do time corretamente para criar as tarefas com critérios de aceitação claros, o que levou o time a ter que fazer retrabalho muitas das vezes. Do mesmo jeito, os Daily Scrums não estavam sendo produtivos, pelo fato de eu não ter conseguido demonstrar a importância desse ritual para o time. O Daily mais parecia uma reunião de relatórios, na qual os membros falavam o que tinham feito e o que iriam fazer, mas parava por aí. Não tínhamos maturidade o suficiente para realmente entender os impedimentos que estavam atrapalhando o time e resolvê-las.

O início foi difícil

Não é de se espantar que o resultado do nosso primeiro Sprint foi desastroso. Porém mesmo assim, não vimos isso como um fracasso, e sim como nosso primeiro sucesso.

“Mas como assim? O Sprint teve um resultado desastroso e você está dizendo que ele foi um sucesso?”.

Aqui, vale lembrar que o Scrum não se propõe a ser uma metodologia que você já começa com acertos, e sim uma metodologia de melhoria contínua, fazendo com que o importante não seja começar já extremamente ágil, mas sim ir ganhando agilidade conforme os Sprints vão passando. Já no nosso segundo Sprint a frente desse time, muito mudou. Conseguimos entender vários dos pontos que estavam na verdade atrapalhando o time e trabalhar para consertá-los. Antes do próximo Sprint Planning, realizamos um novo treinamento sobre a metodologia, focado em esclarecer os pontos que o time não tinha entendido muito bem, como a importância dos Daily Scrums, da priorização e da criação correta de tarefas, principalmente no que diz respeito aos critérios de aceitação delas. O time começou a entender melhor como a metodologia poderia ajudá-los a render mais enquanto melhorava a condição do trabalho que eles tinham anteriormente. Após os Daily Scrums, o time e o Scrum Master trabalhavam para ajudar a resolver os impedimentos que os membros tiveram no dia, as tarefas foram sendo realizadas de acordo com a priorização e os membros passaram a cada vez menos tentar realizar o multitasking.

Os resultados do segundo Sprint foram muito acima do que esperávamos

Tivemos um crescimento de mais de 100% de Story Points realizados entre o primeiro e o segundo Sprint. Da mesma maneira, o nível de satisfação dos membros em relação a esse Sprint subiu de um nível extremamente baixo para um nível que eles já consideravam superior ao modo de trabalho vigente antes da implementação do Scrum. Os próximos Sprints seguiram tendo melhorias constantes, e comparando o segundo Sprint com o último do trimestre (não contamos o primeiro Sprint por ter tido um resultado muito abaixo de todo o resto). Tivemos um crescimento de 42% de Story Points realizados e o nível de satisfação com a metodologia subiu ainda mais, tendo os membros encantados com a nova forma de trabalhar. A principal lição que podemos tomar desses resultados de usar Scrum são é:

  1. Comece cedo
  2. Comece sem medo de errar

Seu primeiro Sprint provavelmente vai ser um desastre e isso não é o fim do mundo. Afinal de contas, o que é melhor? Começar bem e se manter nesse nível ou começar abaixo do esperado e ter uma boa aceleração, que depois de um tempo vai fazer com que seu time esteja em um nível superior? A aceleração é mais importante do que a velocidade inicial, nesse caso.

Inscreva-se na nossa newsletter

Vamos te enviar os melhores insights
Oops! Something went wrong.
Não se preocupe, não vamos te mandar SPAM!