O planejamento estratégico e sua evolução metodológica

O Planejamento Estratégico é uma ótima ferramenta para qualquer empresa que deseja se preparar com antecedência para várias situações, se tornando proativa ao enfrentar seus desafios.

Em em um ambiente tão volátil como o mundo dos negócios, as empresas que enxergam com clareza suas metas, objetivos e caminhos para alcançar isso, tem consigo uma bela vantagem competitiva.

Por essa razão, o planejamento estratégico é uma ótima ferramenta para qualquer empresa que deseja se preparar com antecedência para várias situações, se tornando proativa ao enfrentar seus desafios.

Nesse post iremos te contar um pouco mais da história dessa ferramenta e mais alguns benefícios de sua implementação.  

Quando Começou

Se atualmente, mesmo com tanto acesso à informação e transformações consideráveis tão rápido muitas empresas ainda seguem com modelos de gestão com estruturas fixas inflexíveis, como elas se organizavam oitenta anos atrás?

Alguns estudos informam que os primeiros indícios de planejamento estratégico, surgiram na década de cinquenta, com um único foco no pilar financeiro da corporação.

Entretanto, mesmo que o mercado não fosse tão volátil como atualmente, naquela época, em resposta ao mercado, as empresas também enxergaram a necessidade de evoluir (e quando isso não aconteceu?).

Nas décadas de sessenta e setenta o pensamento a longo prazo começou a se consolidar, discutindo e analisando pilares além do financeiro.

Inclusive, a partir dos anos setenta é que surgiu o termo planejamento estratégico.

Com o passar dos anos, acompanhando os avanços da tecnologia, o conceito de planejar estrategicamente evoluiu, se consolidando a partir da década de noventa como uma administração estratégica e competitiva.

Atualmente

Embalados pela era da informação, alguns dos modelos de planejamento estratégico competitivos expandiram seus campos e formas de aplicação, inovaram em vários aspectos e acompanharam as mudanças do mercado.

Devido a isso, por mais que tenham se estruturado em uma outra época, sua capacidade de adaptação fez com que essas metodologias ainda sejam mundialmente utilizadas.

Dentro desse contexto, podemos destacar dois modelos: OKR e BSC.

BSC (Balanced Scorecard)

Criado em 1992 por dois professores da Harvard Business School, os Indicadores Balanceados de Desempenho (devidamente traduzido), são um conjunto de objetivos que possibilitam a todos os colaboradores uma visão clara e abrangente da estratégia da empresa.

Inicialmente, os professores publicaram uma pesquisa expondo as desvantagens de usar apenas indicadores financeiros para medir o sucesso de um negócio.

Felizmente, eles tiveram uma grata  surpresa, e os resultados de suas pesquisas culminaram em uma nova ferramenta que ficou mundialmente conhecida.

Dessa forma, podemos definir o BSC como um modelo de gestão e de performance organizacional.

A aplicação desta ferramenta tem o foco na determinação de maneira balanceada, das ligações de causa e efeito presentes nos indicadores de avaliação das empresas, que de acordo com o BSC são as perspectivas financeira, de mercado, de processos internos e de aprendizado.

OKR (Objectives and Key Results)

Ainda mais antiga que BSC, e paradoxalmente, uma das mais atuais no cenário do mercado de trabalho, a metodologia OKR (Objetivos e Resultados Chave) apareceu para o mundo em 1983, na Intel.

Podemos resumir OKRs em uma frase de John Doerr, autor do livro mais vendido sobre OKRs, “Avalie o Que Importa: Como Google, Bono Vox e a Fundação Gates sacudiram o mundo com os OKRs”:

 Eu vou _____, que pode ser medido por _____.

Essa frase demonstra a estrutura de um OKR, composto por um Objetivo (Eu vou), acompanhado de Resultados-Chave (… que pode ser medido por).

Ao criar objetivos claros e aspiracionais e definir como vamos medir os dados para saber se chegamos em tal objetivo, cria-se um alinhamento na empresa entre estratégia e execução.

Com isso, cada funcionário sabe os objetivos que a empresa tem e como eles podem ser atingidos. Por essa razão, todos terão um norte para seguir e realizar tarefas que vão aproximar a empresa do objetivo alvo.

Aplicação prática e seus Benefícios  

Ficou interessado em conhecer algum exemplo prático? Aqui no Roads, os OKRs são essenciais para a manutenção do nosso sucesso e alavancar nosso crescimento.  

O primeiro grande motivo é a clareza que os OKRs geram para todos os colaboradores. Todos do time tem acesso e devem estar cientes sobre quais são os objetivos do time e da empresa.

Outra vantagem do uso do OKR é o entendimento de como cada setor está contribuindo. Quando você sabe o que outro time está realizando, você pode contribuir com ideias e sugestões mais assertivas.

Diminuindo o achismo e opiniões que muitas vezes não contribuem para o crescimento da empresa. É por essa razão que não abrimos mão de OKRs em nosso planejamento estratégico.

Qual o segredo para dar certo?

Senso de pertencimento dos colaboradores! Acredite, esse é um dos principais motivos para o sucesso desse método.

Quando os colaboradores sabem que suas ações do dia a dia, opiniões e experiência estão impactando os resultados da empresa. Todos ficam mais engajados e se sentem parte da construção e donos do negócio!

Um outro ponto importante  é a simplificação da estratégia empresarial. Não tem necessidade de um plano de ação gigantesco onde só quem esteve presente na construção sabe interpretar.

OKRs são simples, claras e diretas. Portanto, todos que olham sabem o caminho que a empresa quer traçar e, principalmente, onde quer chegar.

Acredite isso são apenas alguns benefícios que o uso da metodologia nos trouxe! Gostaria de aprender mais sobre OKR? Podemos te ajudar contando tudo que você precisa saber sobre essa metodologia!

Inscreva-se na nossa newsletter

Vamos te enviar os melhores insights
Algo deu errado.