Metas SMART: O que são e como construí-las

A todo instante, estamos falando de metas. Sendo assim, conheça as Metas SMART, uma ferramenta que ajudará definir as melhores metas de maneira metodológica.

Falar que o mercado atualmente tem se reinventado e que mudanças ocorrem a todo momento já não é novidade para ninguém. Se você veio parar aqui é porque está buscando um diferencial na sua vida ou no seu negócio. A proposta deste artigo é justamente contribuir para isso, te apresentando as Metas SMART e mostrando qual a diferença que elas podem trazer na sua vida.

Metas vs desejos

A todo instante, direta ou indiretamente, estamos falando de metas. Seja na sua rotina ou no seu trabalho, metas são constantemente cobradas, definidas e apresentadas. Quando você deseja algo e traça um caminho para sanar esse desejo, você está lidando com metas. Quando você tem um sonho e define um tempo para conseguir alcançá-lo, você está relacionado com metas. Metas estão sempre presentes. Mas será que só por desejarmos ou sonharmos com algo já configura-se uma meta? A resposta é não e falaremos mais sobre isso. Para que vocês compreendam melhor o que queremos dizer vamos antes apresentar um pouco sobre Objetivos. Os objetivos são descrições concretas de onde está se querendo chegar, ou o que está se tentando alcançar, ou seja, o propósito. Entendendo isso, podemos dizer, então, que Metas são tarefas específicas para alcançá-los. Elas servem como um direcionamento. Você mira em algo, em alguma conquista e define as ações e atividades que precisa cumprir até conseguir alcançar. Nem precisamos ressaltar que definir metas é extremamente importante para nossa vida, profissional e pessoal. Definindo metas, deixamos de desperdiçar nossa força de trabalho e damos um foco à ela, direcionamos nossos esforços em busca de nossos objetivos. Em uma empresa, traçar metas pode aumentar muito a produtividade dos colaboradores, resultando em melhores números para o negócio. Em nossas vidas, garante foco, organização, bem-estar e sentimento de conquista.

Como metas ajudam na produtividade?

Vamos imaginar o seguinte cenário: o líder do time que cuida do relacionamento com o cliente passa a missão para a equipe de aumentar a satisfação do cliente com o produto vendido. O líder não passou números, não disponibilizou recursos, não estabeleceu um prazo, nada! O que você imagina que teremos de saída desse time? Nada de bom. Todo o esforço da equipe será perdido. Talvez até consigam alguma melhora, mas não terão ideia de como conseguiram a melhoria, quais serão os próximos passos e se conseguirão manter o bom resultado. A criação de metas é uma maneira de incentivar os envolvidos em prol de um objetivo. A partir das metas, a equipe ou o indivíduo conseguirá traçar planos e organizar sua rotina. Por meio das metas o colaborador consegue trabalhar de forma inteligente e produtiva. As metas darão a todos um foco, e a partir disso, vários caminhos serão criados de acordo com as necessidades, dificuldades e recursos disponíveis para cada um. Daí em diante, boas práticas serão adotadas e os efeitos serão comparados para definir o melhor método de se chegar ao objetivo final. Não existe uma regra, então, é interessante observar quais alternativas são mais eficientes e quais demandam menor investimento e retorno mais rápido e consistente. Ao fazer essa análise, será possível criar um bom plano de ação, com dados que servirão de base para a tomada de decisões. Definir metas com critério e de maneira inteligente é, portanto, um ponto-chave que possibilitará a criação de planos de ação eficientes e que realmente servirão como norteadores para os times. Sendo assim, apresentaremos a seguir as Metas SMART, uma ferramenta que ajudará você e seus líderes a definirem as melhores metas para suas equipes.

Metas SMART

Agora que estamos na mesma página podemos apresentar este método que irá te ajudar a definir metas ousadas sem fazer com que sua equipe se sinta desmotivada. O método se chama SMART, onde cada letra carrega um critério de sucesso para a definição de metas. Além disso, podemos até fazer uma referência ao termo em inglês “smart” que traduzido significa “inteligente”. As metas SMART foram propostas por Peter Drucker como parte da gestão por objetivos, em seu livro “The Practice of Management” (1954). SMART é um anagrama das palavras (em inglês) que definem os cinco conceitos que o formam. Specific (específico), Measurable (mensurável), Attainable (alcançável), Relevant (relevantes) e Time Bound (temporal), ou seja, consecutivamente significam: objetivos específicos, mensuráveis, atingíveis, relevantes e com um prazo determinado para atingi-los. Vamos entender mais sobre estes conceitos?

S - SPECIFIC (ESPECÍFICA)

Uma meta deve ser específica. Ela deve ser objetiva e direta. Todos os colaboradores ou pessoas envolvidas naquela meta precisam ter pleno conhecimento sobre o que pretende-se alcançar com aquela meta estabelecida. Vamos retomar nosso exemplo do líder que pediu ao seu time que aumentasse a satisfação dos seus clientes. Se isso for estabelecido como meta o critério “Específica” não será validado, pois a equipe não saberá do que se trata e não conseguirá se organizar para alcançá-la. O ideal, seguindo as características de uma meta específica seria definir a meta: “Aumentar a satisfação dos clientes em 20%” ou ainda “Aumentar a satisfação dos nossos clientes de 6 para 9” (numa escala de 0 a 10, por exemplo).Para ajudá-los a definir metas específicas deixaremos aqui alguns questionamentos que você pode fazer para validar suas metas no quesito Específica. Portanto, para ser específica, uma meta deve responder às seguintes perguntas:

  • O que desejamos alcançar com esta meta?
  • Quem será o “tutor” desta meta?
  • Como conseguimos conquistá-la?
  • Por que ela foi definida?

Ao realizar este exercício conseguimos nos aproximar ainda mais do sucesso daquela meta. Dessa forma, todos os envolvidos terão plena consciência do que devem fazer e uma ideia inicial de como devem fazer.

M - MEASURABLE (MENSURÁVEL)

Para ressaltar este critério vamos fazer a seguinte indagação: Qual o sentido de criar uma meta se ela não pode ser medida? Os aspectos quantitativos são extremamente importantes no momento da criação e são usados para comparação, avaliação e monitoramento da meta. Dessa forma, é fundamental que ela seja mensurável. Em nosso exemplo, vamos supor que queremos aumentar a satisfação de nossos clientes em 20% em 3 meses. Sem especificar o valor do aumento desejado (específica e mensurável) e o período de tempo para cumprí-lo não seria possível fazer o monitoramento da meta e nem mesmo saber se ela poderá ser cumprida ou não. Sendo assim, para ser mensurável, uma meta deve responder às seguintes perguntas:

  • Qual o dado quantitativo esperado para esta meta?
  • Quanto tempo será necessário para alcançá-la?
  • Qual o número inicial da meta, ou seja, onde estamos no momento?
  • Possuo meios ou ferramentas para realizar a medição desta meta? Se não, como faço para conseguí-los?

Certo. Definimos uma meta que todos saberão o que fazer, definimos um número alvo e um tempo para ela ser realizada. Será que a meta é atingível?

A - ATTAINABLE (ATINGÍVEL)

Lembra que comentamos que a meta não pode desmotivar nossa equipe? Este critério trata exatamente sobre isso. Uma meta precisa ser desafiadora, tirar o time da zona de conforto, entretanto, ela precisa ser alcançável, ela precisa ser realista e estar coerente com o trabalho da equipe. De nada adianta estabelecer metas que brilham os olhos sendo que o time não possui recursos suficientes para alcançá-la. Para entendermos o grande problema de uma meta inatingível basta nos projetarmos para um ambiente de trabalho onde nos esforçamos durante meses definindo e executando estratégias e planos de ação, participando de reuniões e encontros para atingir algo que sabemos que não iremos alcançar. É realmente muito frustrante e desmotivante. Portanto, antes de criar uma meta, é fundamental avaliar os seguintes pontos:

  • Com base no histórico do time ou da empresa, é possível atingir o objetivo traçado?
  • Os envolvidos naquela meta acreditam ser possível atingir aquela meta?
  • A meta é desafiadora o bastante para conduzir o time para outro nível de desenvolvimento?
  • Temos recursos técnicos e gerenciais necessários para fazer a meta acontecer?

Voltemos para o nosso exemplo: “Aumentar a satisfação dos clientes em 20% em 3 meses”. Qual foi o alcance do time no trimestre anterior? E no mesmo trimestre do ano anterior? Os 20% são possíveis. Se sim, podemos considerar esta meta como atingível e partir para o próximo critério de validação. Esta meta é relevante para o time?

R - RELEVANT (RELEVANTE)

Após definir uma meta atingível e mobilizar todo o time, é necessário analisar a relevância da mesma para o negócio. Uma meta relevante é aquela que impacta diretamente no negócio e gera retorno estritamente positivo para uma empresa. Portanto, ela precisa ser justificável e contribuir para o crescimento e evolução do empreendimento. Ao definirmos uma meta relevante é esperado que o time se sinta mais motivado e determinado em alcançar aquela meta. Além disso, se a meta for relevante ela, naturalmente, será tratada como prioridade no trabalho da equipe. Sendo assim, é importante definir metas para o que realmente importa dentro da organização. Isso pode ser o aumento do número de clientes, a satisfação dos mesmo ou até mesmo o lucro gerado ou a satisfação dos colaboradores, depende da estratégia e dos valores adotados na empresa. Sem mais delongas, vamos para o exercício. Estas questões podem ser feitas para saber se sua meta é realmente relevante para o time e para a organização.

  • Como a empresa será impactada pela meta?
  • A meta é vista como relevante por todos os envolvidos?
  • O momento é oportuno para ir em busca da meta?
  • Há prioridades que podem ser prejudicadas por essa meta?

No nosso exemplo do aumento da satisfação podemos assumir, então, que a satisfação dos clientes da nossa empresa fictícia é o que realmente importa, faz parte da nossa cultura e é prioridade nos nossos esforços. Meta aprovada no quesito Relevância, mas será que ela é temporal?

T - TIME BOUND (TEMPORAL)

O último critério das metas SMART é extremamente importante. Qualquer meta traçada deve ter prazo. O tempo é um fator decisivo para uma empresa, portanto é preciso que ela saiba como administrá-lo muito bem. Se você cria uma meta e não estabelece um tempo para a sua realização não temos argumentos se a equipe cumpri-la em 1 dia, 1 mês ou 1 ano. Uma boa prática que pode contribuir muito para o sucesso deste critério é definir um cronograma com uma previsão de datas para cada uma das tarefas que for prevista no plano de ação. Não significa que esse cronograma deva ser engessado e não possa sofrer ajustes, mas é importante tentar seguir da forma que foi estabelecido. Nesse quesito, a nossa meta já está correta, pois estabelecemos o período de 3 meses para a sua conclusão. Como de costume, seguem algumas perguntas para validar o critério temporal das suas metas:

  • A meta possui um prazo final de cumprimento?
  • Este tempo é suficiente para cumprir a meta com qualidade?
  • O prazo final estabelecido está de acordo com outros ciclos ou prazos adotados na empresa?

Ao reunir todas as informações da nossa meta, temos: “Aumentar a satisfação dos nossos clientes em 20% em 3 meses”, percebemos que todos os fatores das metas SMART foram atendidos, o que significa que as chances de sucesso desta meta e o impacto positivo no time e na organização irão aumentar. Além do mais, você acabou de criar uma meta compatível com a definição de um OKR, assunto que estamos sempre trazendo para você aqui no blog. Mas lembre-se: as metas SMART são uma ferramenta muito poderosa para a gestão da sua empresa ou da sua vida, porém somente isso não irá garantir que seus objetivos sejam atingidos. É preciso incluir outras ferramentas de gestão e garantir que além do planejamento haverá também execução.

Inscreva-se na nossa newsletter

Vamos te enviar os melhores insights
Oops! Something went wrong.
Não se preocupe, não vamos te mandar SPAM!